Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ensino em Geografia - Iniciação à Prática Profissional I

Última Sessão de IPP1

26.05.22 | Patrícia Anjos

Olá a todos novamente!!

Desta vez, estou aqui para me "despedir" de vocês desse lado, não para sempre, mas por algum tempinho que prometo não ser longo!!

O Seminário de Iniciação à Prática Profissional 1 (IPP1) teve a última sessão no passado dia 23 de Maio, e por isso ausentar-me-ei mais para me poder focar nos restantes trabalhos pendentes.

Nesta última sessão, o Professor Sérgio Claudino começou por efetuar um pequeno ponto da situação dos estágios, abordando em particular o meu caso e o da Simone. O meu caso e da Simone é particularmente complicado, pois, íamos iniciar o nosso estágio na escola básica, no entanto, a nossa professora orientadora ficou doente e, estamos agora, com o nosso estágio "congelado". Mas tudo se há de resolver e eu virei aqui para vos dar as novidades, até porque quero que saibam como foi a minha experiência a dar aulas pela primeira vez! 

Ainda relacionado com os estágios, o professor salientou, que assim que possível, até meados de Julho, devemos pensar bem e decidir que escola e professor orientador queremos escolher, para depois termos tempo de entrar em contacto com eles para ver se estão disponíveis.

De seguida, o professor projetou uma ficha de orientação/autoavaliação, que serve como orientação para nós que estamos a elaborar o relatório de estágio de IPP1. Nesta ficha, que se baseia numa tabela com vários parâmetros, enumera os diversos pontos que devemos apresentar no relatório, cada um com o seu grau de importância. De modo a entendermos o que fazer em cada um destes pontos, o professor leu-os e aprofundou-os, reforçando quais pontos podemos falar de um modo mais geral e em quais devemos falar de forma mais intensa, com mais detalhe. Por exemplo, as aulas que assistimos do/a professor/a orientador/a, podem ser escritas no relatório de forma mais geral, enquanto as aulas que nós daremos, devem ser descritas com um maior detalhe, sendo este ponto mais importante, pois tal como o professor disse e bem, nós é que seremos avaliados e não os professores orientadores. O professor Sérgio realçou ainda que é muito importante, principalmente nós, enquanto professores, escrevermos bem, redigirmos bem os textos, com os termos corretos e a pontuação certa (ex: sabermos onde pôr ponto final, quando temos de terminar uma frase, quando temos de pôr vírgulas para interromper, etc.).

De seguida, na segunda metade da aula, o professor diversas fichas, com exercícios, com diversos temas para nós "inspecionarmos".

De modo a conseguirmos interpretar as fichas, o professor salientou a Taxonomia de Bloom. Esta taxonomia é uma das ferramentas que servem para classificar o processo de pensar e aprender. Na tabela seguinte podemos entender as diferentes dimensões presentes:

Taxonomia de Bloom.jpg

A primeira ficha está relacionada com os Sismos, onde estão presentes várias tarefas referentes a este conteúdo. O professor relata o que está presente nas fichas para toda a turma, pedindo a nossa ajuda relativamente a cada uma das perguntas. Apresento-vos as folhas referentes a esta ficha de modo que entendam o que explicarei sobre cada uma delas:

Ficha1.0.jpg

Ficha1.1.jpg

Ficha1.2.jpg

Na primeira folha podemos encontrar um texto que cobre grande parte da folha, e o que vamos encontrar na segunda? Um exercício onde se vai resumir o conteúdo todo deste texto. Esta passagem do texto para um esquema, é uma forma de compreensão na taxonomia de bloom, porque neste caso eles vão ter de interpretar primeiro o texto, esquematizando-o. Nessa segunda folha, a primeira tarefa resume-se à elaboração de uma definição, sendo uma pergunta aberta para os alunos; a segunda tarefa faz os alunos pesquisarem no texto uma certa palavra/conceito; a terceira consiste na dita esquematização. O esquema:

esquema.jpg

Ainda nesta última tarefa, num dos pontos desta, pedem-se vários exemplos, consoante a categoria de sismos, e podemos ver, que num dos sismos, já se encontra um exemplo preenchido. Isto faz com que os alunos fiquem com uma ideia do que é que têm de realizar, ficam com uma "luz" do que se é pedido. Mesmo em turmas com alunos excelentes, é sempre bom inserirmos umas "dicas" nos exercícios, pois todos os alunos diferem assim como a compreensão de cada um.

O professor salientou uma curiosidade, que pessoalmente desconhecia. Visto esta ficha ter cartoon, o professor questionou-nos quem é o cartoonista mais importante atualmente em Portugal e, para minha surpresa é geógrafo! Falo-vos do cartoonista Luís Afonso, quem faz o cartoon a "Mosca" num jornal português o Público.

luis afonso.jpg

No decorrer desta conversa, um colega efetuou uma pergunta muito interessante ao professor Sérgio: Qual o maior geógrafo que já existiu? Ao qual o professor respondeu: Humboldt.

E em Portugal? Onde o professor respondeu: José Ferrão, Orlando Ribeiro, Jorge Gaspar, etc.

De seguida, passámos para a segunda ficha, relativa a um texto de Orlando Ribeiro:

Ficha2.0.jpg

Ficha2.2.jpg

Nesta segunda ficha é possível encontrarmos um texto de Orlando Ribeiro, que se foca no Homem, e a seguir, é-nos apresentadas as questões referentes a esse texto. Tal como na ficha anterior, segundo a taxonomia de bloom, estamos perante um caso de Compreensão, pois para respondermos a todas as perguntas, temos de ler e interpretar o texto.

Neste exercício, o principal é categorizar a informação do texto (sublinhando as palavras ou conceitos pedidos) e a reconstrução da informação (neste caso em esquema).

A terceira ficha diz respeito a exercícios sobre Santarém e o Tejo:

Ficha3.jpg

Neste caso, o exercício é muito idêntico ao anterior, onde aqui também tem de existir uma categorização da informação, pois é necessário sublinhar certas partes do texto, existindo uma interpretação prévia do mesmo. Ao sublinharmos o texto, há uma classificação da informação (riscar com 1 risco ou com 2), é uma atividade mecânica, relativamente simples e que os alunos gostam de fazer.

A quarta ficha que nos foi entregue é muito idêntica à ficha anterior. Nesta também é possível encontrarmos um texto, neste caso sobre o Ciclo da Água, e depois há tarefas onde os alunos têm novamente de sublinhar várias palavras/conceitos que lhes são pedidos. Porque é que se pede apenas para sublinhar palavras e não pedimos para sublinhar com cores? É simples, nem todos os alunos levam diariamente para as aulas lápis ou canetas de várias cores.

Existem várias formas de ler e explorar textos, como já vimos ao longo desta minha explicação, mas deixarei aqui umas pequenas sínteses que o professor Sérgio entregou-nos, em esquema, para poderem perceber melhor.

Categorizar informação1.jpg

Reorganizar a informação1.jpg

Deixo-vos agora o sumário desta sessão:

  • O texto no ensino da geografia;
  • Categorizar a informação (sublinhar, riscar, etc.) e reorganizá-la de forma mais sintética.

Em breve voltarei para vos contar o meu percurso no estágio, por isso aguardem pelo meu regresso!! Até já!! 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.