Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ensino em Geografia - Iniciação à Prática Profissional I

Notícias - Falta de professores, concursos, necessidade de reforços

05.04.22 | Patrícia Anjos

Olá a todos!

Hoje venho falar com vocês, não sobre a sessão de IPP1 mas sim sobre umas notícias referentes à falta de professores. A sessão de IPP1 desta semana não se realizou pois o professor Sérgio Claudino teve um compromisso que não podia faltar.

blog 7.jpg

Sendo assim vou falar-vos sobre duas notícias que visualizei nos últimos dias e que achei interessantes:

"Fenprof considera que escolas “precisam urgentemente de reforços" financeiros e humanos"(https://cnnportugal.iol.pt/educacao/professores/fenprof-considera-que-escolas-precisam-urgentemente-de-reforcos-financeiros-e-humanos/20220326/623f5c710cf2c7ea0f21c2b7)

Segundo a Fenprof (Federação Nacional dos Professores), as escolas necessitam, com urgência, de um reforço de recursos tanto financeiros como humanos. Este foi um dos pontos mais comentados na reunião do conselho nacional, sendo um dos problemas que o novo Ministro da Educação tem de combater nos próximos anos que se avizinham.

A vantagem deste novo Ministro, João Costa, é o facto de já estar neste ministério há cerca de 6 anos, o que já lhe permitiu conhecer quais os problemas que se encontram "em cima da mesa".

O que está por detrás desta falta de recuros é o subfinanciamento que a educação enfrenta, que tem sido resolvido, ou pelos menos tentado, através dos fundos europeus e da municipalização.

Mário Nogueira, secretário-geral da Fenprof admite que o desafio da falta de professores, está camuflado com a contratação de pessoas que não são habilitadas para a docência em questão. Pretende-se que a atratividade pela profissão seja aumentada, através da valorização das carreiras, do combate à precariedade, da melhoria das condições de trabalho e do rejuvenescimento do corpo docente. Dado o número de jovens nos cursos para o ensino, e o número de professores na idade da aposentação, iremos em breve, presenciar uma grande falta de professores. 

Nesta reunião, a Fenprof organizou ainda uma petição com mais de 20 000 assinaturas para ser entregue na tomada de posse da Assembleia da República onde são exigidas soluções para as carreiras e o aumento da atratividade da profissão. 

Fenprof diz que concurso de professores tem poucas vagas e prolonga precariedade (https://cnnportugal.iol.pt/geral/fenprof-diz-que-concurso-de-professores-tem-poucas-vagas-e-prolonga-precariedade/20220329/6242f4170cf21847f0b43339

 

Recentemente, a Fenprof acusou o Ministério da Educação de prolongar a precariedade dos professores, abrindo um concurso para o próximo ano letivo com poucas vagas para as necessidades reais das escolas. Neste momento, são necessários mais de 9 000 profissionais, no entanto, o número de vagas a concurso são apenas 3 250, perfazendo um terço dos professores necessários. Realçando que das 3 250 vagas, apenas 529 são para novas vinculação, para além de que mais de 4 000 docentes com mais 15 anos de serviço, ficaram de fora da vinculação no concurso anterior.

É necessário que haja uma mudança e uma reestruturação na carreira docente.

Hoje deixo-vos só estas duas pequenas notícias para que possam refletir um pouco sobre a debilitação que Portugal está a vivenciar relativamente à falta de professores, em todo o país.

Volto aqui para falar com vocês logo depois da Páscoa!

Até já!! 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.