Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Ensino em Geografia - Iniciação à Prática Profissional I

III Encontro Nacional dos Mestrados em Ensino de Geografia - 2022

08.03.22 | Patrícia Anjos

Boa tarde!!

Foi neste sábado, dia 5 de março, que aconteceu o III Encontro Nacional dos Mestrados em Ensino de Geografia, no IGOT.

Encontro-Nacional-MEG.png

Infelizmente, por motivos de força maior, não consegui estar presente na parte da manhã, mas à tarde, assim que foi possível, aderi a este encontro de forma online.

A parte da tarde deste encontro, começou com a Ana Marçal, do Centro de Informações Urbana de Lisboa (CIUL) a apresentar-nos um vídeo, basicamente sobre a origem de Lisboa, sobre o seu desenvolvimento até à Lisboa que conhecemos nos dias de hoje.

Depois do visionamento deste vídeo, o arquiteto Paulo Pais, da Câmara Municipal de Lisboa, efetuou um breve resumo do filme, realçando as partes mais importantes deste, assim como retirou dúvidas de algumas pessoas.

A seguinte parte deste encontro nacional, disse respeito a um tema: "A Geografia lá de casa", onde foram presenciados testemunhos de vários alunos de cada uma das faculdades aderentes.

Primeiro, foi a vez da Universidade de Coimbra, onde as alunas Mónica e Juliana, partilharam alguns momentos das suas vidas onde a geografia esteve presente. Para a Mónica, o mestrado de ensino em geografia começou por ser uma experiência, pois já possuía o mestrado em geografia humana, no entanto, tem gostado desta nova experiência, do contacto direto com os alunos na sala de aula. A Juliana, no que lhe concerne, partilhou que desde cedo brincava a ser professora, pois como a sua mãe também era professora, foi uma profissão que esteve sempre presente na sua vida. Sendo brasileira, esta profissão no Brasil exige muito garra, é uma profissão complicada. A aceitação da família pela educação geográfica foi fácil, no entanto, quando teve de se afastar 2000 km para estudar (São Paulo — Baía), os pais sentiram muito a sua falta, mas não se arrepende, pois, foi uma experiência muito enriquecedora que aumentou a sua paixão pela geografia. Há cerca de 4 anos, veio para Portugal, onde se encontra atualmente a fazer a profissionalização para a carreira de docente em geografia.

coimbra.png

Seguiu-se a universidade coordenadora do encontro deste ano, o IGOT, onde houve a participação dos meus colegas, da Jesilene do 2º ano, e do Tiago Fernandes do 1º ano. A Jesilene começou por contar-nos o que é a geografia para cada um dos seus filhos, mostrando que esta noção não é igual para todas as pessoas. Para ela, a geografia envolve curiosidade, cidadania, sendo uma disciplina lúdica e descentrada. Ainda segundo Jesilene, não devemos transformar os alunos em "minigeógrafos", mas sim transmitir o conhecimento geográfico. Para o meu colega Tiago, o tema geografia sempre esteve presente na sua casa, sempre foi a disciplina mais "fácil" para trocar ideias com os pais e com a irmã. Sempre acreditou que a profissão de professor é nobre, sendo-lhe a decisão de entrar neste mestrado a sua melhor opção e não se arrepende do seu percurso até aqui.

igot.png

A seguir, foi a vez do Alexandre e do Miguel, da Nova, partilharem connosco as suas opiniões. O Alexandre não fala sobre geografia só com os seus pais, mas sim também com os seus amigos, em que para eles, a geografia passa maioritariamente pela geografia política, sendo um assunto que não é muito abordado nas nossas licenciaturas em geografia. Para o Alexandre tem sido bom perceber como a geografia tem evoluído nos últimos anos, acrescentando até mais matéria. Relativamente ao Miguel, ele julga ser importante entendermos a importância da disciplina de geografia, pois nem todos os que nos rodeiam compreendem a sua grandeza. Realça ainda, que nós, enquanto alunos e professores, devemos enquadrar a geografia onde esta merece, um lugar importante, de destaque.

nova.png

Por fim, mas não menos importante, foi a vez da participação da Universidade do Porto, que contou com a presença de 3 alunos. Para a Ana Pereira, a geografia sempre foi um ponto assente na sua vida. A geografia sempre esteve presente na sua vida, através das viagens que os seus avós realizavam, partilhando mais tarde com ela todos os sítios por onde passavam e as diversas histórias que tinham de cada sítio que visitavam. A geografia é a sua segunda casa. Já em relação ao Bruno Ribeiro, a alma de geógrafo acabou por aparecer por tudo o que o rodeava, através dos rios, do mar, do relevo, do clima, etc. Mesmo em casa, a geografia esteve sempre presente, quer nos documentários que a sua mãe tentava mostrar-lhe, assim como nos pequenos passeios que fazia com o seu pai na natureza. Por fim, a Celmira Correia, realça que o seu avô fora professor, mas que esta não era a única paixão que o avô tinha, pois, também gostava muito de viajar. Quando voltava dessas viagens pelo mundo, trazia sempre fotografias escritas por si no verso a contar a história por detrás dessa imagem, adoçando cada vez mais a sua admiração pela geografia.

porto.png

Terminando a partilha dos vários alunos e ex-alunos das variadas universidades, foi realizado um pequeno intervalo de meia hora. Às 17h, começou então a palestra do Professor Herculano Cachinho, intitulada: “Educação geográfica poderosa: conhecimento, conceitos liminares e aprendizagens transformadoras”. 

Nesta palestra, o professor Herculano achou relevante partilhar a diferença entre Geografia com Poder e Geografia sem Poder. Isto, pois se a geografia desaparecesse, nós sentíamos isso na nova vida quotidiana. A geografia muda as pessoas. Tal como não conseguem viver sem o português e a matemática, também se dá o caso da geografia. Os geógrafos percebem a sua importância, no entanto, as pessoas ao redor, nem sempre conseguem ter essa perceção. 

Segundo ainda o professor, o conhecimento não tem gavetas, e, por isso mesmo, a geografia não consegue viver sem várias áreas que a complementam.

Foi também salientada a importância das aprendizagens transformadoras, onde só existe aprendizagem, se ela transformar as pessoas.

Por fim, no fim do encontro, um aluno de cada instituição fez uma despedida, e o "globo" foi passado à universidade que irá, para o próximo ano, organizar este encontro de mestrados em geografia.

Espero não me ter alongado muito, e que tenham gostado desta partilha, sobre este encontro que me enriqueceu muito através de todas as partilhas que foram feitas, tanto pelos alunos, como pelos professores.

Até à próxima!!!