Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ensino em Geografia - Iniciação à Prática Profissional I

1ª Sessão de Iniciação à Prática Profissional I (IPP1) - Apresentação

28.02.22 | Patrícia Anjos

Olá a todos!!

Há algum tempo que já não vinha aqui escrever-vos um bocadinho, mas volto agora outra vez em força!

Nestas últimas semanas não tive possibilidade de passar por aqui, pois com o fim do último semestre e com vários trabalhos para entregar, não houve oportunidade.

Agora regresso, desta vez através da disciplina de Iniciação à Prática Profissional 1 (IPP1), para poder continuar a contar-vos o resto desta minha caminhada neste mestrado em ensino de Geografia. Por isso, espero que continuem desse lado!!

Mas o que é isto de Iniciação à Prática Profissional 1? A disciplina de Iniciação à Prática Profissional, é a disciplina onde, enquanto aluna do mestrado em ensino, começo a perceber o que é ensinar. É nesta unidade curricular onde se irá abordar mais em concreto o que é ensinar, como devemos ensinar, o que devemos ou não fazer, etc. É também, associado a esta disciplina, que começarei o estágio profissional. Mas já aprofundarei estes assuntos mais à frente neste post!

Tal como no outro blog que também tenho, e penso que já tiveram oportunidade de ver, em Didática da Geografia, o docente desta unidade curricular também é o Professor Sérgio Claudino. 

No início desta primeira sessão, começámos por abordar como será feita e processada a avaliação. Neste caso, esta disciplina terá 3 momentos de avaliação, e, no que lhe concerne, todos diferentes uns dos outros. Uma das avaliações concentra-se exatamente no que leem, o Blog, valendo este 20% da nota final. Este blog serve para vos contar as aprendizagens que vou tendo nesta unidade curricular, a minha experiência no estágio, algumas notícias que eu possa achar pertinente relacionadas com o ensino, etc. 

A parte da avaliação que terá mais "peso" na nota final é o Relatório de IPP1, o relatório do estágio que realizarei este semestre, onde, para a sua confeção, terei de recolher informação sobre a(s) escola(s) onde irei estagiar, assim como informação sobre as aulas que irei assisitir do(s) professor(es) cooperantes e sobre as aulas que eu irei dar, embora sejam poucas neste semestre. Este momento de avaliação valerá 60% da nota total. Por fim, o último fator de avaliação a que teremos de nos sujeitar, é referente ao parecer dos professores cooperantes (20%), onde estes irão transmitir ao Professor Sérgio o que acharam do nosso estágio.

No meu caso, e não sei se já vos disse no blog de Didática da Geografia, mas estarei em duas escolas diferentes. Ficarei no Agrupamento de Escolas Vergílio Ferreira, referente ao ensino básico (7º, 8º e 9º ano de escolaridade), onde assistirei a 3 ou mais aulas da professora cooperante, e depois serei eu a dar 2 aulas de 90 minutos ou 3 de 50 minutos, dependendo do horário que a escola tiver. Em relação à escola secundária, ficarei no Agrupamento de Escolas da Rainha D. Leonor, onde será feito o mesmo processo que já referi na escola básica.

Blog IPP1 - 1.jpg

Após tratados estes assuntos referentes à avaliação da disciplina e sobre o estágio supervisionado, passámos então para uma parte mais teórica de IPP1.

A institucionalização da Geografia em Portugal deu-se em 1904, ano em que começou a funcionar a primeira disciplina de geografia no ensino superior. Francisco Xavier da Silva Teles (1860 – 1930), geógrafo e médico, foi o fundador em Lisboa, professor de geografia no Curso Superior de Letras, que depois se transformou na Faculdade de Letras (1911) que conhecemos atualmente. Foi ainda, em 1911, professor de geografia económica no Instituto Superior do Comércio. Foi, ainda que por pouco tempo, reitor da Universidade de Lisboa, e chefe no Ministério da Instrução Pública.

francisco xavier teles.png

Francisco Xavier da Silva Teles

Esta institucionalização deu-se devido à Reforma de 1901, onde foram criadas unidades curriculares de ensino e de pedagogia. Assim, a geografia aparece numa disciplina preocupada com a formação de professores. Mas, porque é que uma reforma preocupada com o ensino, faz com que apareça uma disciplina de geografia? Ora, porque não havia ainda nenhuma formação de profissionais de geografia, apesar de o ensino da geografia já ser feito há muitos anos, no entanto, não havia ainda formação profissional para isso.

Dito isto, em Portugal, primeiro a geografia apareceu no ensino básico e secundário, e só mais tarde no ensino superior. Ou seja, o ensino básico/secundário é o "pai" do ensino universitário, pois foi onde a geografia apareceu primeiro, onde se começou a transmitir primeiro esta ciência.

Depois de Silva Teles, apareceu Orlando Ribeiro (1911 – 1997), como uma das principais figuras da geografia em Portugal. Orlando Ribeiro foi o principal responsável por uma grande renovação da geografia em Portugal, sendo uma figura destacada tanto na ciência como na cultura portuguesa no século XX. Curiosamente, foi aluno de Francisco Xavier da Silva Teles, no Curso Superior de Letras de Lisboa.

Orlando Ribeiro.png

Orlando Ribeiro

Na segunda parte da aula, o professor pediu-nos para pensarmos como gostaríamos que fosse uma aula de geografia, ou experiências que tivemos. Ao debruçar-nos no assunto, um dos alunos (meu colega) disse que uma aula devia concentrar-se em 3 momentos diferentes: na introdução, no desenvolvimento e na conclusão. O professor até concordou, referindo que a introdução também podia ser intitulada de princípio, o desenvolvimento em meio, e a conclusão em fim.

A introdução (princípio) deve ser um "espaço" destinado para:

Gráfico Blog 1.png

Tal como está presente no fim deste último esquema que apresentei, é fundamental fazer uma pergunta de motivação logo no início da aula. Isto serve para que durante a aula os alunos estejam mais atentos, pois ficam com esse desafio de no fim da aula conseguirem responder à questão proposta. Têm de ser perguntas simples e diretas como, por exemplo "Temos mais idosos (+65 anos) ou jovens (-25 anos) em Portugal?". Esta pergunta deve ser apresentada para os alunos no quadro, no centro, de modo que esta esteja sempre acessível a qualquer aluno. Cada um deve escrever a resposta no caderno, para ser um trabalho individual e só no fim cada um apresentar a sua opinião/resposta. Um aspeto difícil para o professor é o "ficar calado" quando se dá uma tarefa aos alunos. Devemos permanecer calados, dando tempo para que se concentrem e consigam responder ao pretendido com sucesso.

O segundo momento da aula, o desenvolvimento (meio), baseia-se essencialmente no fornecimento da matéria aos alunos, a matéria estipulada/preparada para essa sessão.

Por fim, a conclusão (fim) da aula baseia-se:

  • Dizer no que consiste o TPC;
  • Breve síntese do que foi dado nessa sessão;
  • Sumário (caso não se faça no início da aula, este pode ser efetuado no fim, onde neste caso é o resumo da aula).

Deixo ainda, em baixo, o cartaz do III Encontro Nacional dos Mestrados em Ensino de Geografia, que se realizará já no próximo sábado, dia 5 de março, pelas 10h. Será online e presencial, sendo este último no Auditório Orlando Ribeiro no IGOT. Terá a participação da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, da Nova - Faculdade de Ciências Sociais e Humanas e, por fim, do Instituto de Geografia e Ordenamento do Território e do Instituto da Educação, ambos da Universidade de Lisboa.

O encontro decorrerá sensivelmente entre as 10h e as 18h, onde começará com uma sessão de abertura conduzida pelo Presidente do IGOT, e pelos coordenadores dos cursos de mestrado em ensino das diferentes faculdades participantes. Depois, realizar-se-á uma mesa redonda intitulada "A formação inicial de professores", que contará com a presença de um diplomado e de um estudante de cada um dos mestrados, passando depois a uma pausa para o almoço.

Da parte da tarde, será visionado um filme da Câmara Municipal de Lisboa, seguido por uma partilha de ideias/experiências de vários mestrandos. Por fim, o encontro terminará com uma palestra do Professor Herculano Cachinho, sobre a educação geográfica.

Encontro-Nacional-MEG.png

Apresento agora aqui o sumário desta sessão de IPP1, pois não quero alongar-me muito mais, até porque muito em breve já aqui estou de volta com mais notícias para vocês.

Sumário: 

  • Apresentação do programa;
  • "Uma aula é como um texto, tem introdução, desenvolvimento e conclusão" (Ronaldo Fernandes, 2022).

 

Deixo aqui links sobre Silva Teles e Orlando Ribeiro para saberem mais, se for do vosso interesse:

https://www.apgeo.pt/francisco-xavier-da-silva-teles

https://www.apgeo.pt/orlando-ribeiro